Comissão de Constituição e Justiça aprovou projeto, e PT anunciou recurso para plenário discutir tema.

Alcolumbre reafirmou que objetivo é buscar acordo com Câmara sobre texto a ser votado.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou no fim da noite desta terça-feira (10) que não há uma data prevista para o plenário votar o projeto que prevê a prisão após condenação em segunda instância. A proposta foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em caráter terminativo, isto é, com previsão de seguir diretamente para a Câmara dos Deputados sem passar pelo plenário. O PT, contudo, já anunciou que apresentará um recurso, o que fará com que o texto seja submetido a votação em plenário antes de ser analisada pelos deputados. Segundo reafirmou Alcolumbre, o objetivo é chegar a um acordo com a Câmara dos Deputados sobre o texto a ser aprovado pela Congresso Nacional.

Isso porque os deputados analisam uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata do tema.