Após paralisação por conta da pandemia de coronavírus, instituição de Barretos (SP) deve levar pelo menos um ano e meio para atender a todos os diagnósticos represados.

Após 4 meses, Hospital de Amor retoma atendimento em Barretos, SP Após quatro meses de paralisação de exames preventivos contra o câncer, o Hospital de Amor de Barretos (SP) retomou os atendimentos com protocolos de segurança e uma fila de espera de pelo menos um ano e meio para atender os 80 mil pacientes que aguardam serem chamados. Uma das primeiras a ser chamada, a dona de casa Lígia dos Santos descobriu a suspeita de câncer de mama quando uma carreta de exames passou por Matão (SP), onde ela mora, e ascendeu o sinal de alerta. Após paralisação por conta do coronavírus, dona de casa passa por mamografia no Hospital de Amor em Barretos (SP) EPTV/Reprodução A paciente procurou o hospital em novembro, fez um ultrassom, mas não pôde dar continuidade aos exames, que estavam marcados para maio.

Agora, com a retomada no início de julho, Lígia finalmente fez a mamografia que há meses a deixava preocupada.

"Quando eu descobri que estava com este problema, fiquei com medo.

Estava ansiosa para poder voltar, para não dar um problema maior", diz. Após paralisação por conta do coronavírus, dona de casa passa por mamografia no Hospital de Amor em Barretos (SP) EPTV/Reprodução Fila de prioridade Os atendimentos serão organizados por prioridade.

Primeiro, serão chamados pacientes que já começaram a investigar a suspeita de câncer e fizeram exames preliminares que apontaram alto risco de desenvolver a doença. Em seguida, serão atendidos aqueles com risco considerado intermediário e, por último, indivíduos que buscam realizar os primeiros exames para investigar a suspeita do câncer.

Todos eles receberão documentos com orientações para evitar o risco de contaminação por Covid-19. Outro fator que deve nortear a marcação dos exames é uma ferramenta digital do hospital que leva em consideração dados como a quantidade de casos de coronavírus e taxa de ocupação dos leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria na cidade onde os pacientes vivem. Após 4 meses de paralisação, Hospital de Amor retoma exames preventivos em Barretos (SP) EPTV/Reprodução Com as informações, o sistema deve informar o hospital qual é o risco de contágio de atender pacientes de determinada cidade e quantos deles podem ser marcados por dia.

Os protocolos servem para manter os pacientes e funcionários em segurança. A médica radiologista Sílvia Sabino, que faz exames como a mamografia, diz que o retorno é de extrema importância para os pacientes.

"O câncer de mama não respeita pandemia.

Ele não sabe que ela está acontecendo", afirma. Radio e quimioterapia Os pacientes que já foram diagnosticados com câncer antes da pandemia estão sendo atendidos desde o final de abril, após uma paralisação que durou três dias por ordem da Justiça a pedido do Sindicato dos Empregados de Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Ribeirão Preto e Região (Sindees). O Tribubal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª região determinou a volta dos funcionários do Hospital de Amor ao trabalho ao considerar que o afastamento poderia provocar danos graves e de difícil reparação às atividades desenvolvidas na instituição. Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca