Uso de máscara se torna obrigatório em qualquer local público e crianças menores de 12 anos não podem mais entrar em supermercados.

Medidas serão revisadas no dia 13 de julho.

Prefeitura proíbe aluguel de salões e eventos particulares em Orlândia, SP Apesar de estar na região rebaixada à fase vermelha do Plano São Paulo, Orlândia (SP) decidiu manter aberto o comércio considerado não essencial a partir desta segunda-feira (29).

Além disso, a Prefeitura tornou obrigatório a utilização de máscaras em qualquer local público e proibiu o aluguel de espaços e equipamentos de festas. As regras valem até o dia 13 de julho, mas podem ser alteradas a qualquer momento, tendo em vista a quantidade de pessoas infectadas por coronavírus na cidade.

São 154 casos e sete mortes até esta segunda-feira, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Uso de máscara se torna obrigatório em Orlândia (SP) até 13 de julho, diz prefeito EPTV/Reprodução O prefeito Oswaldo Ribeiro Junqueira Neto diz que a decisão de manter o comércio aberto está relacionada à taxa de ocupação dos leitos, que é de 8,3%.

Os hospitais de Orlândia têm 120 vagas, e somente dez estão ocupadas, segundo o prefeito. "Optamos por não fechar, porque seria uma penalização onde o pessoal está agindo corretamente.

Todo o comércio, que está funcionando das 14h às 18h, passa álcool em gel, usa máscara, tem restrição da circulação interna, então o comércio estaria pagando um preço, e a culpa não estaria no comércio", diz.

Os supermercados continuam abertos normalmente, com uso de álcool em gel, máscara e restrição de aglomerações.

A partir desta segunda-feira, no entanto, crianças menores de 12 anos não podem mais entrar nos estabelecimentos. Prefeito de Orlândia (SP), Oswaldo Ribeiro Junqueira Neto mantém comércio aberto em meio à pandemia de coronavírus EPTV/Reprodução Máscara e aglomerações Os moradores devem utilizar máscaras não só dentro das lojas, mas em qualquer local público.

A fiscalização ficará por conta da Vigilância Sanitária e quem descumprir a regra será multado, de acordo com o prefeito. O novo decreto municipal também proíbe a permanência em espaços públicos entre 22h e 6h.

Oswaldo diz que a decisão foi tomada porque jovens estavam se aglomerando nas ruas, principalmente em praças, aos finais de semana. Os moradores também não podem mais alugar ranchos, edículas, espaços de lazer e salões de festas, nem mesas e cadeiras para eventos.

O prefeito atribui parte do aumento de casos às comemorações no Dia dos Namorados. "Não tem como fazer a fiscalização dentro das residências.

As pessoas se reúnem, principalmente quando tem datas comemorativas, como Dia das Mães, agora em agosto vai ter Dia dos Pais", diz o prefeito. Moradores não podem mais frequentar espaços públicos entre 22h e 6h em Orlândia (SP) até 13 de julho EPTV/Reprodução A decisão pegou de surpresa a decoradora Michelle Paula da Silva, que também tem um salão de festas, mas precisou fechar as portas em março e, desde então, estava sobrevivendo com o aluguel de equipamentos. "Por mais que eram valores pequenos, pelo menos você tem para um combustível, para uma energia, uma água, porque o salão está fechado, mas nós temos o custo.

Este final de semana mesmo fiquei parada.

Não entrou nada de dinheiro", relata.

A decoradora discorda da decisão da Prefeitura e diz que espera uma mudança no decreto.

Ela diz que, apesar de estar preocupada com o avanço da Covid-19 na cidade, precisa continuar o trabalho para arcar com as dívidas. "Não que a gente quer estimular as pessoas a fazerem festa, mas a vida não pode parar.

O ramo de eventos inclui muita gente, então precisa olhar para essas pessoas e adotar uma medida para que esse vírus possa conviver no meio de todo mundo.

Quem não morrer do vírus vai morrer depressivo", reclama. Dona de salão de festas lamenta proibição de aluguel de móveis durante pandemia em Orlândia (SP) Reprodução/EPTV Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca