Imagens registraram movimentação de viatura durante a madrugada do domingo (28).

Polícia Civil investiga dano qualificado e ameaça.

PMs são investigados por suspeita de ataque à casa de presidente do PT em Nuporanga Policiais militares são alvos de uma investigação na Corregedoria da PM por suspeita de participação em um atentado à casa da presidente do diretório municipal do PT em Nuporanga (SP), a professora Mariene Guioto de Souza, relatado no fim de semana. Imagens de câmeras de segurança registraram a movimentação de uma viatura próxima à residência de Mariene.

Em boletim de ocorrência, ela mencionou ter encontrado pólvora e estilhaços do que parecia ser uma bomba depois de uma explosão na madrugada do domingo (28).

Ninguém se feriu.

Na Polícia Civil, o caso foi registrado como dano qualificado e ameaça.

Ninguém foi preso. O diretório regional do PT solicitou que as autoridades do estado identifiquem os responsáveis pela ação, que considerou motivada por intolerância política. Imagens mostram viatura da PM no Centro de Nuporanga, onde casa de presidente municipal do PT foi alvo de suposto atentado Reprodução/EPTV O caso Mariene e a mãe registraram boletim de ocorrência informando que ouviram ruídos que pareciam disparos de arma de fogo por volta de 1h da madrugada do domingo e que foram até a cozinha, onde sentiram cheiro de pólvora. Além disso, relataram que ouviram o barulho de um carro deixando a rua em frente à casa e que, depois disso, voltaram a dormir.

Durante a manhã, foram encontradas marcas de pólvora e estilhaços do que parecia ser um explosivo perto do portão da garagem e da parede da cozinha. Imagens de câmeras de segurança obtidas pela EPTV, afiliada da TV Globo, mostram uma viatura da PM trafegando pelo local no horário relatado pelas moradoras. Em determinado momento, é possível ver clarões de dentro da casa e um homem de capuz correndo e entrando na viatura da PM, que sai em alta velocidade. De acordo com o boletim de ocorrência, a Corregedoria da Polícia Militar apura o caso pela suspeita de participação de PMs na explosão. A Polícia Civil, que também investiga o atentado, solicitou a perícia na casa da professora.

Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca